Home |  Institucional  |  Farmácias  |   Notícias  |   Licitações  |  Medicamentos  |  Contato

  
MEDICAMENTOS     Home \ Medicamentos\ Antihipertensivos \ Propranolol
       
» ANTIHIPERTENSIVOS

PROPRANOLOL

Identificação do Produto:


Formas Farmacêuticas e Apresentações:


Comprimidos: Caixas com 50 envelopes com 10 comprimidos
Composição: Cada comprimido contém:
Cloridrato de Propanolol ....................... 40mg
Excipiente adequado q.s.p 1 comprimido


Informações Técnicas:


O Propanolol, quimicamente reconhecido como o 1-isopropilamino-3-(nafitiloxi)-2-propanol, é um antagonista b-adrenérgico não seletivo. Em função do bloqueio dos receptores b-adrenérgicos que estão presentes em vários órgãos, as ações do Propanolol são amplas, particularmente importantes sobre o sistema cardiovascular.

Farmacocinética:


O Propanolol é muito lipossolúvel, em conseqüência é absorvido (90%) quase que completamente, pelo trato gastrintestinal,
apresentando maior absorção quando ingerido juntamente com alimentos. Apresenta alta ligação às proteínas plasmáticas. Sua meia-vida, é de cerca de 4 horas e apresenta biodisponibilidade de aproximadamente 25%. O efeito máximo é obtido em 1 a 1,5 h. Sofre biotransformação pré-sistêmica, e excreção renal. O Propanolol pode reduzir significativamente sua taxa de eliminação, através de redução do débito cardíaco e fluxo sangüíneo hepático, principalmente em pacientes com disfunção ventricular esquerda.

Mecanismo de Ação:


O Propanolol compete especificamente com agentes estimulantes de receptores b-adrenérgicos, pelos sítios receptores disponíveis. Quando o acesso aos sítios receptores b-adrenérgicos é bloqueado pelo Propanolol as respostas cronotrópicas, inotrópicas, e vasodilatadora do estímulo b-adrenérgico são proporcionalmente diminuídas. O mecanismo de efeito anti-hipertensivo do Propanolol, não está totalmente elucidado. Entre os fatores que podem estar envolvidos, contribuindo para a ação anti-hipertensiva, estão: a diminuição do débito cardíaco, inibição da secreção de renina pelos rins e a diminuição do tônus simpático, provenientes dos centros vasomotores do cérebro.

Na angina pectoris, Propanolol geralmente reduz a necessidade de oxigênio do coração, impedindo o aumento da freqüência cardíaca induzida pelas catecolaminas, reduzindo a pressão arterial sistólica e o ritmo cardíaco.


Indicações:


O Propanolol é indicado no tratamento da hipertensão arterial. Pode ser usado isoladamente, ou em associação com outros agentes anti-hipertensivos, especialmente com os diuréticos tiazídicos.

Angina pectoris: devido à aterosclerose coronariana, o Propanolol é indicado no tratamento prolongado ou que não respondam ao tratamento convencional. Não deve ser usado, no entanto quando a angina é resultado apenas de esforços.

Arritmias cardíacas: arritmias supraventriculares, taquicardia atriais paroxísticas, particularmente aquelas arritmias induzidas por catecolaminas, digitálicos ou associados a síndrome Wolff-Parkinson-White, taquicardia sinusal persistente, que não seja compensatória e prejudique o bem-estar do paciente, taquicardia ou/e arritmias relacionadas a tirotoxicose, quando um efeito imediato é necessário, auxiliando um tratamento à curto prazo (2 a 4 semanas), extra-sístoles atriais persistentes, flutter e fibrilações atriais, quando a freqüência ventricular não puder ser controlada apenas por diagnósticos, taquicardias ventriculares prematuras persistentes, que não respondem às medidas convencionais e prejudiquem o bem-estar do paciente, taquiarritmias por intoxicação digitálica e infarto do miocárdio.

Feocromocitose: O Propanolol pode ser usado como auxiliar, após instituir-se tratamento primário com bloqueador a-adrenérgico. Está indicado ainda, no tratamento da enxaqueca e sua profilaxia, estenose subaórtica hipertrófica, Feocromocitoma no tratamento auxiliar.


Contra-Indicações:


O Propanolol é contra-indicado em: choque cardiogênico, bradicardia sinusal, bloqueio atrioventricular maior que o primeiro grau, asma brônquica, insuficiência cardíaca congestiva, diabete, gravidez e lactação, broncoespasmo. Também está contra-indicado nas emergências hipertensivas.

Interação Medicamentosa:


Fármacos depletores das catecolaminas, pode provocar hipotensão; bloqueadores dos canais de cálcio, podem deprimir a contratilidade do miocárdio, especialmente, verapamil intravenoso; gel de hidróxido de alumínio, pode reduzir a sua absorção; o álcool etílico, reduz a sua velocidade de absorção; a fenitoína, fenobarbital e rifampicina aceleram sua depuração, clorpromazina, provoca aumento do nível plasmático de ambos os fármacos. Quando associadas, à antipirina e lidocaína têm depuração reduzida. Com o haloperidol pode-se observar hipotensão e parada cardíaca.

Reações Adversas:


A maioria dos efeitos adversos são transitórios e raramente exigem a suspensão do tratamento:

Cardiovasculares: bradicardia, insuficiência cardíaca congestiva, intensificação do bloqueio atrioventricular, hipotensão, parestesias de mãos, púrpura trombocitopênica.

Sistema Nervoso Central: depressão mental manisfestada por insônia, lassidão, fraqueza, fadiga, depressão mental reversível progredindo para catatonia, distúrbios visuais, sonhos vividos.

Gastrintestinais: náusea, vômito dor epigástrica, cólica abdominal, diarréia, constipação, trombose arterial mesentérica, colite esquêmica. Alérgicas: faringite, agranulocitose, erupção cutânea, febre associada a dor inflamação na garganta.

Respiratória: broncoespasmo e dificuldade em respirar.

Hematológicas: agranulocitose, púrpura não trombocitopênica.

Auto-imune: em casos extremamente raros, lupus eritematoso.

Superdose


: O Propanolol não é significativamente dializável. Caso ocorra superdose ou resposta exagerada, deve-se empregar as seguintes medidas: esvaziamento do conteúdo gástrico (tomando cuidado de evitar a aspiração pulmonar), em casos onde se observe bradicardia, deve-se administrar atropina (0,25 a 1,0mg). Caso não haja resposta ao bloqueio vagal, administrar isoproterenol lentamente. Em caso de broncoespasmo, deve-se administrar isoproterenol e aminofilina.

Similares:


Apo-propanolol, Cloridrato de Propanolol, Detensol, Inderal, Inderal-LA, Novopranol



 
Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco © Todos os direitos reservados |Desenvolvimento COINF|