Home |  Institucional  |  Farmácias  |   Notícias  |   Licitações  |  Medicamentos  |  Contato

  
MEDICAMENTOS     Home \ Medicamentos\ Antiparasitários \ Mebendazol
       
» ANTIPARASITÁRIOS

MEBENDAZOL

Identificação do Produto:


Formas Farmacêuticas e Apresentações:

Comprimidos: Caixa com 50 envelopes com 6 comprimidos.
Composição:

Cada comprimido contém:
Mebendazol ..................................... 100 mg
Veículo adequado q.s.p 100 mL


Suspenção Oral :

Caixa com 50 frascos com 30 mL


Composição: Cada mL da suspensão contém:
Mebendazol ..................................... 20 mg
Veículo adequado q.s.p 1 mL


Ação Farmacológica:


O Mebendazol (metil 5-bezolbenzimidol-2-carbonato) é um anti-helmíntico versátil, sobretudo contra nematódeos gastrintestinais, em que sua ação independe de sua concentração sistêmica. Mostra-se altamente eficaz contra a ascaridíase, a capilaríase intestinal, a enterobiose, a tricuríase e as infestações por ancilostomos (Ancylostoma duodenale e Necator americanus) ou mistas.

A droga é ativa contra as formas larvárias e adulta dos nematódeos, que causam essas infestações, sendo ovicida para Ascaris e Trichuris. A imobilização e morte dos organismos suscetíveis no trato gastrointestinal, ocorre lentamente e a sua eliminação deste local pode não ser completa, senão dentro de poucos dias, após o início do tratamento com Mebendazol. Foram obtidos resultados variáveis contra Strongyloides stercoralis.

O Mebendazol tem sido promissor no tratamento da hidatidose. Foi também relatada sua eficácia contra filárias de Loa loa ou Mansonella perstans. A droga determina o desaparecimento seletivo de microtúbulos citoplasmáticos nas células tegumentares intestinais dos vermes afetados. As substâncias secretoras, acumulam-se nas áreas de golgi, não sendo observados nas células do hospedeiro, a secreção de acetilcolinesterase, nem a captação de glicose do Mebendazol. A droga possui alta afinidade pela tubulina do hospedeiro. A base bioquímica desta ação seletiva, ainda não está elucidada.

Farmacocinética:


A absorção do Mebendazol na forma de comprimidos, é precária e errática e as concentrações plasmáticas da droga, apresentam-se baixas, não refletindo a dose administrada.

A baixa biodisponibilidade sistêmica (22%) do Mebendazol, resulta de uma combinação de absorção insuficiente e metabolismo hepático rápido, durante a primeira passagem da droga.

Cerca de 95% do Mebendazol liga-se às proteínas plasmáticas, sendo extensamente metabolizado em dois metabólitos importantes, que apresentam taxas de depuração inferiores, que o próprio Mebendazol. Foram encontrados, conjugados do Mebendazol e seus metabólitos, na bile. Uma pequena quantidade de Mebendazol, aparece na urina de forma inalterada.

Indicações:


O Mebendazol está indicado para o tratamento de Enterobius vermicularis, Trichuris trichuria, Oxiurus, Ascaris lumbricoides, Ancylostoma duodenale, Necator americano em infestações simples ou mistas.

Contra-Indicações e Precauções:


O Mebendazol não deve ser administrado à mulheres grávidas, nem recomendado para crianças com menos de dois anos de idade, pacientes portadores de úlcera gastrointestinais em atividade, em pacientes portadores de hepatopatias ou insuficiência renal grave. Também não deve ser utilizado em pacientes que apresentaram reações alérgicas ao fármaco.

Em lactantes não é recomendada a administração do Mebendazol por não haver confirmação da excreção do mesmo no leite materno.

Interações Medicamentosas:


O uso simultâneo do Mebendazol com carbamazepina e/ou hidantoína, diminui o seu efeito terapêutico.

Posologia:

Para adultos e crianças de mais de 2 anos de idade, segue-se o mesmo esquema posológico: 1 comprimido duas vezes ao dia, durante 3 dias consecutivos.

Superdose:


Em casos de superdosagens acidentais, reduzem o risco de vida a realização rápida de lavagem gastrointestinal e êmese após a administração de carvão ativado e administração de purgantes.

Toxicidade e Efeitos Colaterais:


Devido à sua baixa absorção, o Mebendazol não causa toxicidade sistêmica significativa no uso clínico de rotina, mesmo na presença de anemia e desnutrição. Ocorreram sintomas transitórios de dor abdominal e diarréia em casos de infestação maciça e expulsão de vermes.

Em pacientes tratados com doses elevadas, os efeitos colaterais raros, incluem reações alérgicas, tonturas, astenia, cefaléia, queixas de intolerância à medicação como náuseas, vômitos e dores epigástricas, alopécia, neutropenia reversível, agranulocitose e hipoespermia. Podem ocorrer efeitos embriotóxicos e teratogênicos em ratas prenhas, com doses únicas de apenas 10 mg/Kg.

Similares:


Ascariobel, Ascarobex, Athelmin, Bendrax, Cessaverm, Divermil, Endovermil, Eraverm, Gran-Verm, Helmizil, Kindelmin, Meben, Mebendazol, Mebendazotil, Mebendil, Moben, Necamim, Novalmin, Panfugan, Pantelmim, etc.

 

 
Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco © Todos os direitos reservados |Desenvolvimento COINF|