Alerta de falsificações com a marca Lafepe

A administração do Lafepe, em respeito aos seus consumidores, informa que a superintendência jurídica desse laboratório está tomando as devidas providências junto às agências de vigilância sanitária, local e nacional, e órgãos da segurança pública para investigação e aplicação das penalidades cabíveis aos responsáveis por falsificação de embalagem, com logomarca Lafepe, em ambientes virtuais. São lotes que seriam do medicamento SOFOSBUVIR/LEDIPASVIR oferecidos em sites da China e de países do Mercosul.

Através de e-mails enviados ao nosso SAC também foi identificado, na web, um sítio eletrônico falso (www.lafepe.com.py) usando a marca LAFEPE DO PARAGUAI, com logomarca antiga do laboratório pernambucano. Todo o material pertinente a essa falsificação também foi protocolado para envio aos órgãos de vigilância sanitária e segurança pública.

Lafepe conquista Certificado de Boas Práticas da Anvisa

Técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e da agência que representa o setor, em Pernambuco, estiveram em inspeção, no Lafepe, em agosto. Passaram pela análise minuciosa da equipe os almoxarifados do laboratório e instalações da fábrica de Sólidos, além dos procedimentos  sistematizados em documentação. Entre os materiais analisados estão as embalagens tipo blister, frascos e caixas (enquadradas nas classificações primária e secundária).

A publicação no Diário Oficial da União, em 28 de setembro, foi amplamente comemorada pelo público interno. O certificado que atesta padrão de qualidade exigido pelo Ministério da Saúde era esperado na equipe Lafepe há cinco anos. Essa conquista chega em período de acelerado desenvolvimento. Os almoxarifados e a fábrica DISOL I passaram por readequações físicas que incluíram reforma no piso, em painéis, nos vestiários, na estrutura de segregação, além da aquisição e modernização do maquinário.

NOVOS ANTIRRETROVIRAIS LAFEPE PARA 2016 – Os medicamentos de combate à aids – Tenofovir + Lamivudina (2 em 1) e Ritonavir Termoestável –  estão com produção prevista para iniciar no primeiro semestre do próximo ano. Agora, a fase é dos estudos de bioequivalência. De acordo com o diretor-presidente do laboratório pernambucano, José Fernando Uchôa, o registro do antirretroviral “2 em 1” será requerido à Anvisa ainda este ano.  Atualmente, o Lafepe repassa ao Ministério da Saúde  cinco antirretrovirais:  Zidovudina + Lamivudina (2 em 1), Lamivudina, DDI em pó, Zidovudina xarope e Tenofovir. Esses medicamentos chegam à população através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Lafepe comemora 50 anos

O evento aconteceu no dia 08 de junho, no pátio do Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco Governador Miguel Arraes. Os anfitriões da cerimônia: o Secretário Estadual de Saúde, Dr. José Iran Costa Júnior, e o presidente do Lafepe , José Fernando Uchôa, receberam entre os convidados D. Magdalena Arraes, viúva do idealizador do Lafepe, Miguel Arraes de Alencar.

Os convidados acompanharam a inauguração da galeria dos ex-presidentes da empresa e a reinauguração da Farmácia de Dois Irmãos. Essa unidade é modelo na implantação do projeto de requalificação das 41 farmácias da rede, com reforma predial e reforço na cesta básica de produtos. O evento contemplou algumas homenagens. O Secretário de Saúde, Dr. José Iran, recebeu do presidente do Lafepe uma serigravura assinada pelo médico e pintor André Valença. A obra reproduz o laboratório pernambucano e outros exemplares foram presenteados aos ex-presidentes da Casa e aos dois colaboradores com mais tempo de empresa.

HISTÓRIA DO LAFEPE – O marco zero é de 27 de maio de 1965. O laboratório representa a realização do sonho de um homem público que tanto se preocupava com o acesso dos mais pobres aos medicamentos. O então governador Miguel Arraes de Alencar pensou o Lafepe, assinou acordo para viabilizá-lo, em 1963, mas não teve o direito de vê-lo nascer porque foi deposto no regime militar de 1964.

Cinquenta anos de história representam uma escalada de ações nas áreas que tornaram o laboratório pernambucano referência. Destaque para a pesquisa, desenvolvimento e produção de remédios para as políticas de saúde pública e para as farmácias da rede. E por falar nessas unidades que servem à população com preços baixos, hoje são 41 em todo o estado e figuram como modelos de farmácias populares. Ao longo desse tempo, o laboratório pernambucano foi administrado por 17 gestores.
Alguns produtos que hoje saem do parque fabril Lafepe são de extrema importância no tratamento de doenças negligenciadas e de alto risco. O laboratório pernambucano produz o Benznidazol: usado no Brasil e em outros países para o tratamento da Doença de Chagas. Também saem de uma das nossas fábricas, a dos antirretrovirais, alguns medicamentos que compõem o coquetel para tratamento da Aids.
As políticas de saúde pública e as farmácias da rede ainda oferecem os óculos Lafepe. Estão disponíveis armações de acetato, metal fechado e fio de nylon. As lentes são produzidas na Divisão de Ótica do laboratório e estão disponíveis nas opções: multifocal, bifocal e visão simples. Os preços dos óculos variam de R$ 45,60 a R$ 121,00.
Atualmente, a empresa vive período de transformações. A nova logomarca representa identidade visual modernizada e em sintonia com a missão social. As farmácias estão em processo de requalificação. As instalações passam por reforma para oferecer mais qualidade, tanto aos colaboradores, quanto às pessoas que buscam os produtos Lafepe. A cesta básica de medicamentos também está sendo incrementada.
De acordo com o diretor-presidente do Lafepe, José Fernando Uchôa, projeta-se para o futuro a ampliação de parcerias, com universidades e outros laboratórios, em pesquisa, desenvolvimento e produção de medicamentos. O investimento na divisão de ótica também é outro objetivo da atual gestão; focando na capacitação dos profissionais do setor, modernização dos equipamentos e reforço na produção.
O Lafepe conta, atualmente, com mais de 600 colaboradores. É patrimônio do povo pernambucano, com história pautada no bem-estar social.

I Encontro Lafepe Mais

 

Cerca de 130 colaboradores do Laboratório Farmacêutico de Pernambuco Governador Miguel Arraes estiveram reunidos no Hotel Canariu’s, em Gravatá, no último fim de semana. O encontro teve como foco a integração e capacitação das equipes que trabalham nas 41 farmácias da rede, espalhadas por todas as regiões do estado. O investimento foi planejado visando à qualificação do atendimento ao público.
A programação contemplou a apresentação da nova logomarca da empresa; orientações em Segurança do Trabalho; o compartilhamento das estratégias de gestão das farmácias, incluindo as etapas de reestruturação física e de abastecimento da cesta básica de medicamentos. O grupo também acompanhou palestra do consultor do Sebrae, Antônio Braga, sobre as técnicas de atendimento ao cliente; valorizando o alinhamento com os objetivos da empresa e o engajamento em equipe.
O I Encontro Lafepe Mais foi bem avaliado tanto pela nova gestão do laboratório oficial, quanto pelos colaboradores das farmácias que agradeceram a oportunidade de compartilhar diagnósticos e ações que estão sendo implantadas. A iniciativa faz parte da programação dos 50 anos do Lafepe. O laboratório pernambucano chega a cinco décadas, no dia 27 deste mês. Além da nova logomarca, a empresa também ganhou um selo alusivo à data.

Nova logomarca para o Lafepe

No dia 08 de maio, no pátio do laboratório, foi compartilhada com os colaboradores a nova logomarca da empresa. A identidade visual renovada chega em sintonia com um tempo de transformações, no ritmo do crescimento para o Lafepe. A nova logomarca vai fazer parte da reestruturação de fachada do prédio-sede, da sinalização das fábricas e das 41 farmácias da rede. A apresentação foi priorizada pelo diretor-presidente, José Fernando Uchôa, antes de iniciar as intervenções. “Por questão de respeito e justiça, cada etapa do desenvolvimento e os desafios da nossa empresa são compartilhados com toda a equipe, até porque os resultados provêm do esforço coletivo. Estamos sempre juntos”, enfatizou.

Na ocasião, também foi lançado o selo comemorativo dos 50 anos do Lafepe. Em 27 de maio próximo, faz cinco décadas que o laboratório pernambucano, idealizado pelo ex-governador Miguel Arraes, tornou-se realidade; garantindo produção farmacêutica de alto padrão, com preços acessíveis às populações de baixa renda.

Lafepe no Dia Mundial de Combate à Doença de Chagas

                 

 

A ação, em Pernambuco, aconteceu no Espaço Carlos Chagas, em frente ao Hospital Procape, no Recife. O Terceiro Encontro da Praça contou com a participação de pacientes e voluntários ligados à associação e ambulatório dos portadores da doença de Chagas, em parceria com o Lafepe. A empresa pernambucana é o único laboratório público, do mundo, a produzir o Benznidazol – medicamento utilizado no tratamento da doença. No evento, a população teve a oportunidade de tirar as dúvidas e obter mais informações sobre a enfermidade.

O dia 14 de abril foi escolhido como o Dia Mundial de Combate ao Mal de Chagas por ter sido nessa data que o pesquisador, Dr. Carlos Chagas, há 106 anos, comunicou sua descoberta à comunidade científica da época.

O Mal de Chagas está no rol das doenças negligenciadas. A infecção é causada pelo protozoário Trypanossoma Cruzi. A transmissão ocorre, principalmente, pela picada do inseto conhecido como barbeiro. O medicamento Benznidazol, produzido no Lafepe, é comercializado em apresentações para uso adulto e pediátrico. O Brasil é abastecido através de repasses do Ministério da Saúde. Pacientes de outros países também são beneficiados com o nosso medicamento. O Benznidazol chega à Bolívia, Paraguai, Equador, Colômbia, Venezuela, Honduras, El Salvador, Chile, México, Argentina e Estados Unidos.

1 2 3 4