Equipe do Lafepe participa do Circuito das Estações

O Circuito das Estações Caixa 2016, que tem mais de dez anos de existência, promove no domingo, dia 11, sua etapa Primavera. As corridas de 5 km e de 10 km têm largadas às 7h30, do Forte do Brum, no Recife Antigo. Os três primeiros colocados das provas, tanto na categoria Masculino quanto Feminino receberão troféus. Com o apoio do Lafepe, 22 funcionários-atletas participarão da modalidade 5 km. São eles:

  1. Bruna Alves de Souza
  2. Carlos Frederico dos Santos
  3. Cristiane Maria da Silva
  4. Deborah Bezerra Monteiro
  5. Elias Ribeiro da Silva Filho
  6. Ivanildo Batista da Silva
  7. José Carlos Delgado Lima Júnior
  8. José Henrique da Paz
  9. Lívia Queiroz de Oliveira
  10. Luciano Gomes da Rocha Júnior
  11. Mardson Carlos de Santana Santos
  12. Maria Roseane Clementino dos Santos
  13. Nathália Ventura de Almeida Itaparica
  14. Patrícia Serpa
  15. Paulo Roberto da Silva Cunha
  16. Paulo Roberto Ferreira
  17. Rafael Leitão de Albuquerque Gonçalves da Silva
  18. Renata Bezerra da Silva
  19. Rodrigo de Oliveira Pereira
  20. Silvano Herculano da Luz
  21. Tiago Manoel de Souza Leite
  22. Wladimir Machado do Espírito Santo

Doença de chagas é tema de debate do MSF

“Doenças negligenciadas, das necessidades aos cuidados: uma história de luta pelo acesso à saúde” foi o tema do debate promovido pelo programa Médicos sem Fronteiras (MSF), na tarde da quarta-feira, dia 31, no auditório Ênio Cantarelli, do Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape) Professor Luiz Tavares.

Na ocasião, o Lafepe foi representado pela coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento, Aila Santana, que falou sobre a estrutura do laboratório pernambucano e a produção do Benznidazol, usado para o tratamento da doença de Chagas. O Lafepe é o único laboratório público no mundo a produzir o medicamento, que em junho deste ano retomou a produção sem restrições.

Dados apresentados pela assessora de doenças emergentes do MSF, Lúcia Brum, indicam que há, no mundo, 6 milhões de pessoas infectadas pelo parasita Trypanosoma cruzi, causador da doença de Chagas. O MSF desenvolve projetos de atenção aos pacientes com a doença de Chagas desde 1999, tendo atuado em diversos países da América Latina, como Honduras, Nicarágua, Guatemala, Brasil, Colômbia, Paraguai, e, atualmente, México e Bolívia. A organização desenvolveu atividades também em países considerados não endêmicos, como o projeto desenvolvido na Itália para oferecer atenção médica a imigrantes infectados.

Pernambuco, um dos estados endêmicos, conta com um programa realizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) em parceria com o Ambulatório de Referência do Procape/Universidade de Pernambuco (UPE). Pioneiro no enfrentamento às enfermidades negligenciadas, o Programa Sanar desenvolve ações de diagnóstico precoce, tratamento e educação. Hoje, só no Procape, são tratados cerca de 2 mil pacientes.

Também participaram do debate o médico Wilson Oliveira Júnior, do Procape e da Casa de Chagas; Rafaela Demontes, do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan); e Alexandre Meneses, da superintendência do Programa Sanar, desenvolvido pela Secretaria de Saúde de Pernambuco. Profissionais da área de saúde e pacientes com o Mal de Chagas acompanharam atentos às discussões.

Alunos de farmácia da FPS conhecem a estrutura Lafepe

Estudantes do 6º período do curso de Farmácia da Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS) estiveram no Lafepe na manhã da quarta-feira, dia 31. No laboratório pernambucano, eles conheceram os galpões de armazenamento da matéria-prima para produção de medicamentos, estoque de embalagens, etiquetas, bulas, até o produto final, pronto para distribuição junto ao mercado consumidor, o que inclui o Ministério da Saúde e as 37 farmácias da rede Lafepe.

Formado por sete alunos, o grupo conheceu, ainda, a tecnologia adotada pelo Lafepe para tratamento da água e as áreas onde são produzidos os medicamentos. Em cada espaço visitado, os estudantes puderam conferir o padrão de qualidade do laboratório pernambucano, que se tornou referência no setor farmacêutico e acadêmico.

Alunos de administração da ETE visitam o Lafepe

Na tarde da quinta-feira, dia 25, alunos do 3º ano do curso de Administração da Escola Técnica Estadual (ETE) José Alencar Gomes da Silva, no Janga, estiveram no Lafepe para conhecer a área de logística de armazenamento e de distribuição de produtos.

Os 27 alunos e dois professores tiveram a oportunidade de acompanhar, na prática, os procedimentos adotados pelo laboratório pernambucano que segue, à risca, os padrões de qualidade recomendados pela Anvisa. A rotina de procedimentos nos almoxarifados de matéria-prima e de produto acabado foi explicada aos estudantes durante a visita.

“Esta visita técnica complementa a nossa grade curricular que inclui as disciplinas de logística, administração de materiais e gestão de qualidade”, frisou a professora e coordenadora do curso de Administração da ETE, Camila Fraga.

Estudantes da UEPB visitam Lafepe

Estudantes do 8º período do curso de Farmácia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), de Campina Grande, visitaram na manhã da quarta-feira, dia 24, a Divisão de Sólidos do Lafepe. Formado por 20 alunos e dois professores, o grupo conheceu de perto as etapas do processo de produção dos medicamentos Lafepe e sua linha de embalagem primária.

Como resultado desta visita, os alunos devem produzir relatório para apresentação nas disciplinas de tecnologia farmacêutica e farmacotécnica, ministradas respectivamente, pelos professores Geovani Pereira Guimarães e Bolivar Damasceno, que acompanharam o grupo.

“Nossa programação no Lafepe irá influenciar significativamente na vida profissional de nossos alunos, que puderam conferir, na prática, o que estudamos em sala de aula”, enfatizou o professor Geovani, ressaltando que irá programar outras visitas ao laboratório pernambucano.

Estudantes da ETE – Janga em visita ao Lafepe

Quarenta alunos do curso de Administração da escola técnica estadual  tiveram a oportunidade de acompanhar, na prática, os procedimentos adotados pelo setor de Logística do laboratório. Nos almoxarifados de matéria-prima e de produto acabado, receberam informações sobre o padrão de qualidade exigido pela Anvisa que inclui atenção diferenciada quanto ao sistema de identificação de lotes, rotina de manipulação, armazenamento, pesagem e refrigeração.

Também foram abordados os procedimentos de validação do material recebido dos fornecedores, além do fluxo de documentos e protocolo de garantia da qualidade antes da expedição dos medicamentos produzidos no parque fabril Lafepe.

1 2 3 4