lafepe-medicamentoslafepe-medicamentos

BENZOATO DE BENZILA

Identificação do Produto:

Formas Farmacêuticas e Apresentações:

Solução tópica: Caixa com 50 frascos de 100mL
Composição: Cada frasco contém:
Benzoato de Benzila ……………………… 25 mL
Veículo adequado q.s.p 100 mL

Informações técnicas:

Os processos de escabiose, conhecidos popularmente como “sarna” são causados pelo o Sarcoptes scabiei, de hábitos noturnos, com intenso prurido devido à penetração das fêmeas em numerosos microtúneis cavados na pele, onde depositam os ovos, e que resultam em lesões de aparências características. As lesões podem se localizar inicialmente nos espaços entre os dedos, ou em dobras da pele, às vezes no couro cabeludo, dificultando o diagnóstico. São facilmente infectáveis, devido à coçadura provocada, principalmente à noite. Quanto à pediculose, a presença tanto do Pediculus humanus (piolho) quanto do Phitirius pubis (chato), apesar de todo o conhecimento sobre hábitos higiênicos adquirido nos tempos modernos, principalmente o primeiro, continua acometendo, crianças em idade escolar, que freqüentam ambientes muito populosos, determinando verdadeiras epidemias em escolas e creches. O Phitirius se apresenta mais de ocorrência venérea; ambos causando intenso prurido, e podendo se apresentar infectados.

Mecanismo de Ação:

Em ambos os casos, pediculose, fitiríase ou escabiose, o medicamento age como parasiticida.

Indicações:

Indicado nos tratamentos de escabiose (sarna), pediculose (piolho) e fitiríase (chato).

Contra-Indicações:

O Benzoato de Benzila está contraindicado em casos de confirmada hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula.
Também deve-se procurar orientação médica, principalmente nos casos, não raros, de infecções associadas, tendo estas, prioridades no tratamento.

Efeitos Colaterais:

O Benzoato de Benzila provoca algumas vezes, sensação de ardor, desagradável, mas passageira, no momento da aplicação, podendo desenvolver ocasionalmente, uma dermatite irritativa. Deve-se ter cautela com aplicações em crianças abaixo dos 2 anos de idade, pela maior sensibilidade da pele.

Posologia:

Escabiose: Usar após um banho com sabão, aplicando o medicamento na área afetada do corpo inteiro, exceto cabeça.
Esperando secar antes de vestir-se. Esta aplicação deve ser repetida 3 vezes, com intervalos de um dia. Após a última aplicação, mudar toda roupa do corpo e de cama. Se necessário repetir mais uma série do tratamento após 5 a 7 dias.
Pediculose: Por dois dias seguidos, lavar a cabeça com sabão, enxugar e pincelar o couro cabeludo com o medicamento, protegendo os olhos e mucosas. Após 24 horas lavar outra vez os cabelos, usando pente fino para remoção dos parasitas e lêndias. Para garantia de cura, repetir a aplicação após uma semana. É aconselhável em alguns casos, um corte baixo dos cabelos. Com relação à fitiríase, o procedimento deve ser idêntico, inclusive os cuidados com irritações de mucosa e a pele sensível desta região.

Precauções:

Evitar aplicações muito próximas de olhos e mucosas. Nos quadros com infecção secundária e/ou eczematização, tratar primeiro a patologia secundária. Situações acidentais de contato com os olhos aconselha-se o uso de pomadas oftálmicas à base de vaselina.

Prevenção:

Bons hábitos higiênicos são a principal medida preventiva destas ectoparasitoses. Uma vez encontrada, todas as pessoas da família, ou escola, portadoras de escabiose ou pediculose, devem ser tratadas ao mesmo tempo, para evitar reinfestação. A remoção das lêndias
poderá ser feita com pente fino umedecido em solução vinagrada 50%. Cautela com aplicações em crianças abaixo dos 2 anos de idade, pela maior sensibilidade da pele.Durante o tratamento e logo em seguida, as roupas de uso pessoal e de cama, toalhas, etc., devem além da lavagem, ser passadas à ferro quente.

Similares:

Acarçan, Miticoçan, Pruridol, Sarnodex.