lafepe-medicamentoslafepe-medicamentos

SULFAMETOXAZOL + TRIMETROPRIMA

Informações Técnicas:
A introdução da associação Sulfametoxazol + Trimetoprima, constitui importante avanço no desenvolvimento de fármacos antimicrobianos, clinicamente eficazes, representando também, a aplicação prática de um princípio teórico de que, se duas drogas atuam sobre etapas seqüenciais da via de determinada reação enzimática obrigatória nas bactérias, o resultado dessa associação será sinérgico.

Farmacocinética:
A associação Sulfametoxazol + Trimetoprima é rapidamente absorvida, após administração oral e no sangue, são carreados por proteínas. Aproximadamente 44% da Trimetoprima e 70% do Sulfametoxazolsangüíneos, estão ligados às proteínas plasmáticas. A distribuição corpórea da administração oral, ocorre após 1 a 4 horas, e permanece presente até 24 horas após a administração. As sulfonamidas, especialmente desenvolvidas para efeitos locais no intestino, sofrem rápida absorção pelo trato gastrintestinal Cerca de 70 a 100% de uma dose oral, é absorvido, podendo detectar a presença da sulfonamida na urina, dentro de 30 minutos. Todas as sulfonamidas ligam-se às proteínas plasmáticas, distribuindo-se por todo o corpo inclusive as meninges no Líquido Céfalo Raquidiano (LCR).

Mecanismo de Ação:
A atividade antimicrobiana da associação de Trimetoprima + Sulfametoxazol resulta de suas ações sobre duas etapas da via enzimática na síntese do ácido tetraidrofólico. A sulfonamida inibe a incorporação do Ácido aminoparabenzóico (PABA), no ácido fólico, enquanto a Trimetoprima impede a redução do diidrofolato em tetraidrofolato, que é a forma do folato essencial para reações de transferência de compostos de carbono, como por exemplo, na síntese de timidilato a partir de desoxiuridilato.
A toxicidade seletiva para os microrganismos, é obtida de duas maneiras. As células de mamíferos utilizam folatos pré-formados da dieta e não sintetizam o composto. Além disso, a Trimetroprima é um inibidor altamente seletivo da diidrofolato-redutase de organismos inferiores.

Indicações e Espectro antimicrobiano:
O espectro antibacteriano da Trimetoprima, assemelha-se ao do Sulfametoxazol, embora a primeira droga seja, em geral, 20 a 100 vezes, mais potente do que a segunda.
A maioria dos microrganismos Gram-negativos e Gram-positivos, mostra-se sensível a Trimetoprima; todavia, pode-se verificar o desenvolvimento de resistência, quando do fármaco é utilizado isoladamente. Em geral Pseudomonas aeruginosa, Bacteróides fragilis e os enterococos são resistentes. Streptococcus pneumoniae, C. diphthriae e N. meningitidis são sensíveis a Trimetoprima + Sulfametoxazol.
Tal associação inibe 50 a 95% das cepas de Staphylococos aureus, S. epidermidis, S. pyogenes, o grupo viridans de estreptococos, E. coli, P. mirabilis, Morganella morganii, P. rettgeri, espécies de Enterobacter, Salmonela, Shigella, Pseudomonas. Pseudomanllei, Serratia e espécies de Alcaligenes. As espécies de Klebsiela abortus, Pasteurella haemolytica, Yersinia pseudotuberculosis, Y.enterocolítica e Nocardia asteroides são também sensíveis. As cepas de S. Aureus resistentes à meticiclina, apesar de serem também resistentes ao Trimetoprim ou ao Sulfametoxazol isoladamente, podem ser sensíveis à associação.

A associação Sulafametoxazol/Trimetropin, está indicada nas seguintes patologias:

Infecções do trato urinário, Infecções bacterianas do trato respiratório, Infecções gastrintestinais, Infecções por Pneumocystis carinii, Endocardite bacteriana, Infecções genitais (cancro mole, clamídia, gonorréia, granuloma inguina) e outras infecções.

Efeitos Indesejáveis:
Não há evidência que a associação da Sulfametoxazol + Trimetoprima, quando administrados nas doses recomendadas, possa induzir deficiência de folato em indivíduos normais. Todavia, a margem entre a toxicidade em bactérias e no ser humano, pode ser relativamente estreita, quando as células do paciente apresentam deficiência de folato. Nessas circunstâncias, a associação pode causar ou precipitar megaloblastose, leucopenia ou trombocitopenia. Na rotina, a associação parece exercer pouca toxicidade.

Contra-Indicações:
O Sulfametoxazol + Trimetoprima é contra-indicado em pacientes que possuam hipersensibilidade aos componentes da droga e em pacientes com história de anemia megaloblástica por deficiência de folato. A associação Trimetoprima + Sulfametoxazol, é contra-indicada em pacientes grávidas, por causa da permeabilidade das sulfonamidas às barreiras placentárias, sendo o mesmo, também excretado no leite materno, assim como em crianças com menos de 1 mês de idade.

Reações Adversas:
As reações adversas mais comuns são distúrbios gastrintestinais, como náusea, vômito e anorexia, reações epidérmicas alérgicas como urticárias. Acidentes fatais com a associação da sulfonamida são raras, porém há relatos de síndrome de Stevens-Jonhson, necrólise tóxica epidermal, necrose hepática fulminante, agranulocitose, anemia aplástica, discrasias sangüíneas e hipersensibilidade do trato respiratório.

As reações adversas mais comuns, são:
Hematológicas: agranulocitose; anemia aplástica; trombocitopenia; leucopenia; anemia hemolítica ou megaloblástica; hipoprotrombinemia; metemoglobinemia e eosinofilia.

Alérgicas: síndrome de Stevens-Jonhson; necrólise tóxica epidérmica; anafilaxia; miocardite alérgica; eritema multiforme; dermatite esfoliativa; angioedema; erupções generalizadas na pele; fotossensibilidade; prurido; urticária e lupus eritematoso sistêmico.

Gastrintestinais: hepatite e necrose hepática; elevação da bilirrubina e transaminase sérica; enterocolite pseudomembranosa; pancreatite; estomatite; glossite; náusea; êmese; dor abdominal; diarréia e anorexia.

Urinárias: problemas renais; nefrite; elevação da creatinina; nefrose tóxica com oligúria, anúria e cristalúria.

Metabólicas: hipercalemia; hiponatremia.

Neurológicas: meningite asséptica; convulsão; neurite periférica; ataxia e dor de cabeça.

Psiquiátricas: alucinação; depressão; apatia e nervosismo.

Endócrinas: diurese e hipoglicemia podem ocorrer.

Musculares: artralgia e mialgia

Sistema respiratório: infiltração pulmonar.

Posologia:
A posologia deverá ser ajustada ao tipo e gravidade da infecção, sendo indicada usualmente, aproximadamente 6 mg de Trimetoprima e 30mg de Sulfametoxazolpor Kg de peso corporal. Nas infecções graves, a dosagem recomendada pode ser aumentada em 50%.
As doses devem ser administradas pela manhã e a noite, de preferência após uma refeição e com suficiente quantidade de líquido.
Dose habitual 2 comprimidos de 400mg ou 1 comprimido de 800mg para adultos e crianças acima de 12 anos, sendo a dose mínima para tratamento prolongado mais de 14 dias.
Dose máxima em casos especiais graves, 3 comprimidos de 800mg a cada 12 horas.

Gonorréia: duas doses consecutivas de 4 comprimidos de 200mg com intervalo de 12 horas.

Superdose:
Lavagem gástrica imediata, hidratação, alcalinização da urina e hemodiálise nos casos graves.

Similares:
Assepium, Bactrin, Benectrin, Binoctrin, Dientrin, Duoctrin, Ectrin, Espectrin, Gamactrin, Imuneprin, Infectrin, Metoprin, Septiolan, Silpin, Sulfametoxazol + Trimetoprima.