lafepe-medicamentoslafepe-medicamentos

Remédio barato em rede de supermercado

Matéria da Folha de Pernambuco publicada no dia 14/06/2007 Farmácia Bompreço baixa preços de 404 genéricos A partir de hoje, 404 medicamentos genéricos, vendidos nas drogarias da rede de varejo americana Wal-Mart, em sete regiões do País, passam a ser comercializados ao público por até R$ 9,90. A redução em 88% no preço desses produtos é fixa e abrange as 30 lojas do grupo em Pernambuco, distribuídas na Região Metropolitana do Recife, em Caruaru e Petrolina, localizadas em áreas de hiper e supermercado.

No Estado, a empresa mantém as farmácias Bompreço e Todo Dia, oferecendo 600 composições genéricas. O desconto atinge, principalmente, remédios de uso contínuo para tratamento de diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares. O programa de genéricos a preços populares foi lançado ontem, em São Paulo, por gestores do Wal-Mart. Segundo comparativo apresentado em coletiva aos jornalistas no Recife, por meio de videoconferência, uma caixa de 30 comprimidos do anti-hipertensivo genérico Captopril (50 miligramas), por exemplo, chega a custar R$ 30,54. Na nova tabela da campanha, essa mercadoria passa a custar R$ 9,90.

O mesmo valor para o antibiótico genérico Ciprofloxacino, de 500 miligramas e com seis unidades, que normalmente alcança R$ 31,64 no mercado convencional. Os genéricos mais baratos podem ser encontrados por R$ 2,90, como o antidiabético Metformina (500 miligramas e 30 cápsulas), geralmente ofertado a R$ 6,98. De acordo com o vice-presidente do Wal-Mart no Brasil, Carlos Fernandes, o barateamento foi possível graças a negociações com laboratórios farmacêuticos. “Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que o brasileiro gasta 5,41% de sua renda com saúde, no entanto, os mais pobres aplicam 60% do orçamento em medicamentos. Sendo que 50% da população já abandonou seu tratamento por falta de condição, conforme pesquisa da OMS (Organização Mundial da Saúde). Por isso nossa iniciativa”, disse.

O presidente do Wal-Mart, Vicente Trius, hesitou em dar detalhes sobre o investimento aplicado para reduzir o preço dos genéricos, apenas revelou que R$ 250 mil serão empregados em peças publicitárias. O setor farmacêutico garante, ao grupo, um faturamento anual de R$ 300 milhões, dentro de sua receita líquida de R$ 12,9 bilhões. Os genéricos representam 7% das vendas nas cinco farmácias da rede. O objetivo, com o desconto, é atingir a média nacional de 12%.